Sunday, November 17, 2019
POLÍTICA

CIPRIANO CASSAMÁ PRESIDENTE INTERINO DA GUINÉ-BISSAU DECIDIU ANP

Junho 29, 2019
  

A Assembleia Nacional Popular (ANP) mandatou Cipriano Cassamá, esta quinta-feira, 27 de junho, “a tomar disposições necessárias ao efectivo exercício das suas funções constitucionais”, na qualidade de Chefe de Estado-interino.

Na resolução saída do debate de urgência realizado em sequência do requerimento da Bancada do PAIGC, a maioria dos deputados evocando a Constituição da Republica.

Cassamá vai substituir José Mário Vaz, cujo mandato terminou esta semana.

A maioria parlamentar “apela a Comunidade Internacional a manifestar e garantir total e efectivo apoio, colaboração e solidariedade à presidência interina do Estado”.

O líder da bancada parlamentar do PAIGC, Califa Seide, disse que a “comunidade Internacional não deve compactuar com eventuais manifestações de poderes, à margem da Constituição e de mais leis da República”.

Ele sublinhou que a necessidade de “não reconhecer qualquer tipo de representatividade do Estado da Guiné-Bissau por ex-presidente, José Mário Vaz,muito menos, assumir quaisquer responsabilidades, com terceiros, em relação a eventuais compromissos que venha assumir”. 

A sessão não contou com a presença dos deputados do MADEM-G15 e do PRS que têm boicotado as sessões parlamentares.

Os dois partidos políticos solidarizam-se com o Partido da Renovação Social, que continua a exigir o lugar do 1º Secretario da Mesa da Assembleia Nacional Popular, actualmente, assumido pelo PAIGC.

Hoje, em conferência de imprensa, o MADEM-G15 e o PRS insurgiram-se contra o líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira, que, esta semana, acusou o presidente-cessante de tentar um golpe de estado com o apoio do Senegal.